quinta-feira, 28 de abril de 2016

EVOLUÇÃO DA DEMOCRACIA NO BRASIL



EVOLUÇÃO DA DEMOCRACIA BRASILEIRA – 1500 a 2013
Por Professor Maurino Prim - Geografia
SITUAÇÃO POLÍTICA
COLÔNIA
MONARQUIA
REPÚBLICA
1500 a 1822
1822 a 1889
1989 a 1930
1930 a 1964
1964 a 1984
1984 a 2013
322 ANOS
67 ANOS
41 ANOS
34 ANOS
20 ANOS
29ANOS
Sociedade Fechada
Ruptura para uma Sociedade Aberta
Recuo da abertura
Retomada da abertura


Elite X Escravos




Colônia de Exploração

Fortalecimento das Oligarquias

X

Enfraquecimento da Monarquia

Migrações

Abolição

Oligarquismo

Democracia sem povo

Economia agrária-exportadora

República  do Café com Leite

República Velha
Democracia de manipulação populista
Ditadura Oligárquica
Getulismo
Estado Novo
Jucelino
Jânio Quadros
João Goulart
Embrião da Cultura Popular
Alfabetização e conscientização

Recuo antidemocrático

Regime militar

Ditadura militar

Governos Militares



Redemocratização
Eleições diretas
Constituinte
Mobilização democrática
Eleição de Tancredo Neves - 1985
CONFLITOS INTERNOS E EXTERNOS
Quilombos -1630/1695
Revolta de Beckman - 1684
Guerra dos Emboabas – 1708/1709
Guerra dos Mascates – 1710
Rebelião de Felipe dos Santos – 1720
Inconfidência Mineira – 1789
Conjuração Baiana – 1798
Revolução Pernambucana - 1817
Confederação do Equador – 1824
Noite das Garrafadas – 1831
Cabanagem – 1835/1840
Sabinada – 1834/1837
Balaiada – 1838/1841
Guerra dos Farrapos – 1835/1845
A Praieira – 1848
Guerra do Uruguai - 1864
Guerra do Paraguai – 1865 a 1970
Guerra de canudos – 1893 a 1897
Revolução Federalista – 1893/1895
A Revolta da Chibatada - 1910
Guerra do Contestado – 1912 a 1916
I Guerra Mundial – 1914/1919
O Cangaço – 1920 a 1938
A Revolta dos Tenentes – RJ -1922
Revolução de 1923-RS
Coluna Prestes - 1924

A Revolução de 1930

Golpe de Getúlio – 1930

II Guerra Mundial 1939/1945




Golpe Militar – 1964

Movimentos Sindicais – 1978

Anistia – 1979

Diretas já - 1983


- Impeachment de Color
- Anões do orçamento
- Mensalão
- Cachoeira
- CPIs
- Fortalecimento e funcionamento autônomo das instituições e poderes
- Combate à corrupção e a impunidade

FRASES:
- Os que em nome da liberdade matam, matam a própria liberdade (Paulo Freire)

- Ao escravo são necessários 3 PPP – Pau, Pão e Pano (Antonil)

- A Educação e um ato de Amor (Paulo Freire)

- O Educador educa  consciências para a Política Democrática; O Político desperta  consciências para uma Educação  Democrática (Prim)

- RADICAL: Tem firmeza de convicção, mas aceita e respeita o contraditório; SECTÁRIO: Quer impor a sua vontade e não respeita e não aceita o contraditório (Paulo Freire)

- ... educar para a decisão, para a responsabilidade política... (Paulo Freire)

- AUTOREFLEXÃO: Conduz a uma tomada de consciência que resultará na sua inserção na história, não como espectador, mas como ator e autor (Paulo Freire)

- O homem sem raízes, sem endereço comandado pelos meios publicitários... (Paulo Freire)

- O homem estabelece uma relação de integração no mundo e com o mundo, fundando assim  a sua existência, onde o existir ultrapassa o mero viver. Transcende. (Paulo Freire)

- A maior tragédia do homem moderno: “O mito da publicidade faz o homem renunciar a sua capacidade de decidir”. Segue receitas prescritas pela elite. (Paulo Freire)

- A mobilização democrática conduz aos interesses coletivos; A manipulação populista conduz aos interesses privados. (Paulo Freire)

Fontes:
- Educação como prática da liberdade – Paulo Freire – 8ª Edição – Terra e Paz, 1978;
- Toda a história – História geral e história do Brasil – José J. de A. Arruda e Nelson Piletti,  7ª Edição, Ática – 1997

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

VIRTUDE DA FORTALEZA



VIRTUDE DA FORTALEZA


Por Maurino Prim
Colégio Social Madre Clélia

          Em homenagem a Madre Clélia, por ocasião da celebração do 85º aniversário de sua entrada triunfal no céu, desejo partilhar e testemunhar a importância que ela tem em minha vida, no que se refere a vivência da virtude da fortaleza. 
Segundo o que nos ensina a Santa Igreja Católica a fortaleza é a virtude moral que dá segurança nas dificuldades, firmeza e constância na procura do bem. Ela firma a resolução de resistir às tentações e superar os obstáculos na vida moral. A virtude da fortaleza nos faz capazes de vencer o medo, inclusive da morte, de suportar a provação e as perseguições. Dispõe a pessoa a aceitar até a renúncia e o sacrifício de sua vida para defender uma causa justa.
Na vida de Madre Clélia não faltaram momentos de dificuldades, obstáculos, perseguições e provações em que as suas forças e convicções foram testadas.  Diante das situações adversas ela dá uma resposta em conformidade com a virtude da fortaleza comparável a um rochedo:
que se deixa desgastar pelas intempéries, mas não se curva;
que aceita as mudanças de forma, com o desgaste do tempo, mas continua rocha;
que espalha as suas substâncias pelo mundo, sem perder a sua essência e natureza.
Madre Clélia se deixa consumir por inteira e mantem-se firme, íntegra e resoluta até o limiar do seu último suspiro.  Se a fortaleza está na magnanimidade, na audácia, na valentia, na paciência, na constância, na perseverança, na persistência, e muitas outras que vão se desenvolvendo e sustentando o progresso da via virtuosa, então encontramos em Madre Clélia uma demonstração de que as adversidades advindas do mundo exterior não se configuram como obstáculos para a manutenção de uma vida reta e centrada numa dimensão maior. Madre Clélia refugia-se e ampara-se no misericordiosíssimo Coração de Jesus, manancial inesgotável de proteção e graças.
Imitar os Santos é um caminho de santificação. É percorrer o itinerário feito por humanos que, por dedicação e méritos, alcançaram a graça da santificação. 
 No desejo de imitar a Serva de Deus, Madre Clélia, Mãe e Mestra, rogo-lhe o amparo nas tentações;
No desejo de imitar a Serva de Deus, Madre Clélia, Mãe e Mestra, rogo-lhe o amparo nas perseguições;
No desejo de imitar a Serva de Deus, Madre Clélia, Mãe e Mestra, rogo-lhe o amparo nas provações;
No desejo de imitar a Serva de Deus, Madre Clélia, Mãe e Mestra, rogo-lhe o amparo nas aflições;
No desejo de imitar a Serva de Deus, Madre Clélia, Mãe e Mestra, rogo-lhe o amparo nas debilidades da saúde do corpo e da alma.
Na minha oração matinal diária a invoco com a súplica:
Madre Clélia! Protegei-me e concedei-me a graça da eloquência, da sapiência e do discernimento, para que eu possa agir com bondade e justiça em todos os atos que necessitarem das minhas ações, Amém.